MONSIEUR LACROIX NOS COFRES DO MUDE

12:21 da tarde


À conversa com Bárbara Coutinho, Diretora do MUDE-Museu do Design e da Moda e Coordenadora Geral da Exposição Caleidoscópio e com Anabela Becho, Conservadora da Coleção de Moda do MUDE-Museu do Design e da Moda e Curadora da Exposição Caleidoscópio.

Fotografia por João Bacelar


Tesouros da Coleção, é uma nova rubrica do MUDE, que será contínua na programação do museu, mas episódica, estará presente sob a forma de exposições temporárias com o objectivo de poder mostrar ao grande público, as peças mais emblemáticas da Coleção Francisco Capelo, desta área tão específica, que é a da alta costura, um universo selectivo, fechado e elitista.

Caleidoscópio, inaugura este ciclo, que será sempre na iconica e requintada sala dos cofres. Esta sala, também ela uma peça de alta costura, desenhada e instalada neste espaço pela conhecida marca inglesa Chubb nos finais dos anos 50, é o local perfeito para receber estas obras de arte, estes tesouros e dialogar assim, com a moda.


Christian Lacroix é o Criador representado nesta maravilhosa e fascinante mostra, em que pela primeira vez nos é permitido conhecer todo o espólio existente na Coleção Francisco Capelo, relativo a este Designer de Moda. Com a exímia Direção Geral de Bárbara Coutinho, com a brilhante Curadoria de Anabela Becho e com a verdadeiramente encantadora Cenografia dos Arquitetos Luis Miguel Saraiva e Raquel Ferreira Santos, esta instalação é absolutamente preciosa. É envolvente, delicada, intimista, misteriosa e suscita a calma e a atenção ao pormenor, que os 16 coordenados conferem. 



Estas peças, únicas e de grande valor, são acompanhadas por textos escritos na primeira pessoa, enviados para o MUDE pelo próprio Lacroix, com registos sobre cada coordenado. Como por exemplo, quais as suas influências ou inspirações para cada peça, ou ainda o número do coordenado no desfile, informação que está colocada em placa junto da peça, uma vez que a ordem pela qual os coordenados são apresentados em passerelle,  é realmente muito importante. Há peças de 1988 a 2000, e oferecem uma visão muito abrangente das inspirações do autor. Como estudioso e amante da história da moda, as suas criações são muito influenciadas por trajes históricos, assim como por trajes das artes de palco, as influências da cultura britânica, da cultura espanhola, da estética clássica, romana, o barroco, as artes e os artistas , o pop e até as suas recordações de infância, como as paisagens de Arles, a sua terra Natal.



Esta mostra consegue espelhar todas as grandes influências e referências de Christian Lacroix, onde se depreende claramente, o foco que tinha na profusão da cor e nas sobreposições de tecidos, texturas, materiais e padrões. Lacroix surge num contexto, em que a moda, depois do seu auge dos anos 50, e dos 20 anos que se seguem, onde se valorizou o traço nipónico e a escola belga, acolhe, admira e reconhece a sua genialidade, ousadia e coragem, ao desafiar convenções e o pré-concebido, rendendo-se à exuberância das suas propostas na alta costura, Christian Lacroix traz consigo a herança da tradição.

Pela importância que teve no universo da alta costura, pelo número de peças do espólio da Coleção Francisco Capelo, por toda a riqueza de imaginário e influências patentes no seu trabalho, Tesouros da Coleção de Alta-Costura, Caleidoscópio, a Alta-Costura de Christian Lacroix, é uma exposição pertinente, magistralmente pensada, realizada e executada que pode visitar até dia 30 de Agosto no MUDE - Museu do Design e da Moda.









































Textos e notas de Christian Lacroix escritos para esta exposição

www.mude.pt





You Might Also Like

0 comentários

Com tecnologia do Blogger.

Get Awesome Stuff
in your inbox