MARLON NICOLAU INTERVIEW

2:26 da tarde

Styling and Interview by Susana Jacobetty
Clothes by Nycole FW1718
with Marlon Nicolau Elite Lisbon


Chamas-te Marlon por causa do Marlon Brando?
A história do meu nome é curiosa, mas não surgiu por causa do actor. O meu pai, ilustre sportinguista, achou por bem dar-me o nome de um avançado brasileiro que jogava em Alvalade nessa altura. E assim ficou.
Como surgiu a moda no teu caminho?
Surgiu de forma bastante inesperada. Já vinha de trás a insistência de alguns amigos e familiares em como tinha a altura e o aspecto para tal, mas na minha cabeça só o via como brincadeira. Mais tarde surgiu um pequeno concurso na minha cidade, no qual uma amiga minha me inscreveu e que tinha no júri um booker da Just Models. Não ganhei o concurso, mas fui convidado a ir á agência e a ser agenciado logo de seguida.
Achas que ainda existe algum preconceito com homens modelos?
Preconceito nâo digo, mas existe ainda um pequeno esteriótipo que engloba os manequins masculinos. Mas é mais sentido fora do círculo da moda, com o público em geral. Mas não acho que seja algo preocupante. Todos nós vivemos mediante esteriótipos, catalogações e associações. Este é so mais um no meio de tantos outros.
O que gostas mais no mundo da moda e o que gostas menos?
Viajar é sem dúvida o que gosto mais. Poder viajar e conhecer, não só novos locais, mas também pessoas e experi|encias. Do que gosto menos, é o tempo de espera. Em castings, em shows, nos trabalhos, até nos aeroportos. Fazem-nos esperar muito mesmo. È chato, ahahah.
Quem são os teus criadores de eleição?
Em Portugal acho que os novos criadores têm aparecido com muito talento nestes últimos tempos. Nycole e David Catalán são os meus favoritos no que toca a menswear. Lá fora há vários criadores de que gosto muito porque primam pela simplicidade dos materiais que usam. Neil Barret e Alexander Wang são alguns exemplos dos que prefiro.
Attachments area



Para ti, em Portugal, quais são os melhores modelos no feminino e masculino?
É uma pergunta um bocado ingrata até porque não tenho realmente preferências nesse sentido. Acho sim é que há vários talentos emergentes, tanto masculinos como femininos, neste momento. Muitos deles já com bastantes provas dadas e que a cada dia que passa, representam cada vez melhor o sangue português la fora.
Conta-nos um momento inesquecível que tenhas vivido durante a tua carreira como modelo?
Não deixa de ser um bocado cliché, mas é mesmo difícil escolher um no meio de tantos que guardo com muito carinho. Felizmente, momentos bons não faltaram, assim como boas experiências. A nível profissional, provavelmente o mais marcante foi quando pude trabalhar directamente com a Dona Prada (Miuccia Prada), nos fittings para a coleção menswear.
O teu ar é bastante alternativo, diz-nos a verdade, tens alguns cuidados especiais de beleza?
Não propriamente. O que faço nesse sentido é o que todos nós deveríamos fazer por defeito, acho eu. Uma alimentação cuidada à base de vegetais e fruta, muito pouca carne, um simples creme hidratante, muita água, muitas gargalhadas e muito amor. Simples.
Tens bastantes tatuagens e piercings, o que te motiva a fazê-las? Achas que algum dia vais fartar-te das tattoos e arrepender-te dos alargadores?
Motivo especial nunca houve a não ser a minha loucura espontânea de o querer fazer. Nunca pensei muito no pós. Se me apetecia, eu fazia. E sempre foi assim com todas as tattoos e piercings e afins.
Arrependimento não tenho, nem acho que vá ter. Até porque cada tattoo e cada piercing têm uma historia por detrás. Mas sim, pode-se dar o caso de os alargadores deixarem de fazer tanto sentido como eu acho que fazem agora. Mas não penso muito nisso por agora. Se algum dia achar que ja não fazem parte de mim, é o dia em que saem.
O que fazes para além da tua vida de modelo? Estudas? Trabalhas? Fazes alguma actividade?
Tive na faculdade ao mesmo tempo que ia viajando no início da minha carreira. Acabei por não conseguir acabar o curso devido ao fluxo de trabalho e porque acabava por nunca estar no país na altura da entrega dos trabalhos e dos exames.
Cá em Portugal não faço da moda um trabalho a tempo inteiro por isso vou tendo sempre algumas actividades paralelas, mas sempre relacionadas com este mundo.
Se faço alguma actividade, tipo desporto? Não, infelizmente não. Caminho muito diariamente, adoro andar a pé para todo o lado. Mas desporto mesmo, não pratico nada neste momento. Fiz natação e futebol durante muitos anos. E vou vivendo com isso, ahahah.



Are you Marlon because of Marlon Brando?
The story of my name is curious, but it did not arise because of the actor. My father, an illustrious sportinguista (Sporting Club of Portugal, soccer club), thought it was best to give me the name of a Brazilian forward playing at Alvalade at that time. And so it was.

How did fashion come your way?
It came quite unexpectedly. I was already aware, because of the insistence of some friends and family on how tall and how I looked, but in my head I only saw it as a joke. Later a small contest came up in my town, where a friend of mine signed me up and who had a Just Models booker in the jury. I did not win the contest, but I was invited to go to the agency and be hired soon.

Do you think that there is still some prejudice with model men?
Prejudice I do not say, but there is still a small stereotype that encompasses male mannequins. But it is most felt outside the circle of fashion, with the general public. But I do not think it's a cause for concern. We all live by stereotypes, catalogs and associations. This is just one in the midst of so many others.

What do you like the most in the fashion world and what do you like less? Traveling is undoubtedly what I like most. To be able to travel and to know, not only new places, but also people and experiences. What I like the least, is the waiting time. In castings, in shows, in jobs, even in airports. They make us wait a lot. It's annoying, ahahah.

Who are your creators of choice?
In Portugal I think that the new creators have appeared with great talent in recent times. Nycole and David Catalán are my favourites when it comes to menswear. There are many creators out there that I really like because they excel at the simplicity of the materials they use. Neil Barret and Alexander Wang are some examples of what I prefer.




For you, in Portugal, which are the best models in the feminine and masculine?
It's a bit of an ungrateful question because I do not really have preferences in that regard. I think so is that there are several emerging talents, both male and female, at this time. Many of them already with enough evidence and that every day that passes, represent better and better the Portuguese blood outside.

Tell us an unforgettable moment that you have lived during your career as a model?
It is a bit of a cliché, but it is difficult to choose one among the many that I hold dearly. Fortunately, good times were not lacking as well as good experiences. On a professional level, probably the most striking was when I was able to work directly with Miss Prada (Miuccia Prada), in fittings for the menswear collection.
Your look is quite alternative, tell us the truth, do you have some special care of beauty?
Not properly. What I do in that sense is what we should all do by default, I think. A careful diet based on vegetables and fruit, very little meat, a simple moisturizing cream, lots of water, lots of laughter and lots of love. Simple.

Do you have enough tattoos and piercings, what motivates you to do them? Do you think that someday you'll get fed up with tattoos and regret the reamers?
Special reason has never been more than my spontaneous madness to want to do it. I never thought much about doing it. If I wanted, I would. And it has always been like this with all the tattoos and piercings.
Repentance I do not have, nor do I think I will have. Even because each tattoo and each piercing has a story behind. But yes, it may be the case that the reamers no longer make as much sense as I think they do now. But I do not think much of it for now. If I ever think that they're not already part of me, it's the day I take them off.

What do you do beyond your model life? Do you study? Do you work? Do you have any activity?
I had college while traveling at the beginning of my career. I ended up not being able to finish the course because of the workflow and because I ended up never being in the country at the time of the delivery of the papers and the exams.
Here in Portugal I do not make fashion a full time job, so I always have some parallel activities, but always related to this world.
If I do some activity, like sport? No, unfortunately not. I walk a lot daily, I love walking everywhere. But I really don't do anything at the moment. I did swimming and soccer for many years. And I'm living with it, ahahah.

You Might Also Like

0 comentários

Com tecnologia do Blogger.

Get Awesome Stuff
in your inbox